Breaking News

A VERDADEIRA RAZÃO PELA QUAL OS EUA ESTÃO INTERESSADOS NO IRÃ


O barril Tipo Brent (no qual se baseiam os preços da Petrobras) estava em US$ 68,00 nesta 3ª feira (07/01). Por seu lado, o óleo leve negociado em Nova Iorque foi para US$ 62,51 o barril.

Portal Oil Price: A verdadeira razão pela qual os EUA estão interessados ​​no Irã.

A obsessão americana pelo Irã é sobre petróleo e gás natural. Se esses dois recursos estavam ausentes, é difícil imaginar um foco americano tão intenso no país desde a época do golpe do governo eleito do Irã, apoiado pela Agência Central de Inteligência dos EUA, em 1953  até hoje. 

A matéria  da  revista Foreign Policy vinculada acima é baseada em documentos desclassificados da CIA e resume o golpe da seguinte maneira: “Conhecida como Operação Ajax, a trama da CIA era, em última análise, sobre petróleo”.

Isto não deveria vir como surpresa. O Irã era uma potência de petróleo em 1953 e continua sendo uma hoje. Presume-se que o Irã tenha a  terceira maior reserva de petróleo  do mundo e a  segunda maior reserva de gás natural . Mesmo que os números citados sejam um pouco inflacionados, as reservas do Irã não são pequenas e o país provavelmente desempenhará um papel importante nos mercados mundiais de energia nos próximos anos.

O que não será discutido são os antagonismos históricos profundos que se desenvolveram a partir do golpe de 1953 apoiado pela CIA. Por exemplo, poucas pessoas lembram que os  Estados Unidos forneceram ajuda econômica, tecnologia de uso duplo (uso civil e militar), treinamento e armas através de outros países para Saddam Hussein  na Guerra Irã-Iraque. 

Saddam invadiu o Irã pensando que poderia tirar proveito do caos naquele país logo após a revolução de 1979. Nesta guerra, o Iraque atacou as principais cidades iranianas, incluindo Teerã, com mísseis balísticos e usou gás venenoso no campo de batalha. 

Diz-se que o Irã sofreu mais de 1 milhão de mortes durante os oito anos de conflito, o que também criou uma grande classe de pessoas com deficiência.

Nenhum comentário