O governador da Bahia em exercício, João Leão, assinou na tarde desta segunda-feira (14) o Decreto Estadual de Emergência para liberação de recursos para seis municípios do estado que foram atingidos por manchas de óleo no litoral.

Segundo informações do governo da Bahia, a assinatura aconteceu por volta das 15h, em um hotel, no bairro do Campo Grande, em Salvador, e contou com a presença de representantes da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). Além do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil Estadual.


“A finalidade desse decreto é que nós possamos comprar todos os materiais necessários para conter e recolher essas manchas que estão chegando na praia. Quem é que vai ficar com esse óleo que a gente vai recolher? A ideia nossa é entregar esse óleo para a Petrobras, que é quem entende de petróleo", disse o governador.

Os municípios que fazem parte do decreto são Lauro de Freitas, Camaçari, Entre Rios, Esplanada, Conde e Jandaíra. Salvador e Mata de São João, apesar de também serem afetados pela mancha, não vão receber os recursos, porque não declararam situação de emergência.

João Leão também falou sobre a suspeita de uma mancha de óleo de 21km quadrados a 100km da costa de Alagoas, que foi descartada após monitoramento aéreo especializado realizado por equipes da Petrobras e por imagens de satélites do Ibama.

"Uma das coisas importantes [do decreto] são os voos de helicópteros para a gente verificar se essa mancha que viram por satélite existe. Até hoje para nós é fake News. Não existe", explicou.

A Bahia conta com 25 pontos de contaminação espalhados pelos municípios de Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari, Mata de São João, Entre Rios, Esplanada, Conde e Jandaíra. Na capital baiana, segundo um balanço apontado pela prefeitura, ao menos 36 kg de petróleo foram retirados das praias da cidade por agentes da Limpurb.

A mancha de óleo chegou ao Rio Pojuca, na região de Itacimirim, que fica na cidade de Camaçari, região metropolitana de Salvador. Entre o sábado (12) e o domingo (13), funcionários da Defesa Civil e 20 voluntários tiraram cerca de 90 quilos do óleo do manguezal.

Manchas de óleo na Bahia


As manchas começaram a chegar no estado em 3 de outubro, quase um mês após o início do problema no país. Mais de 150 praias já foram afetadas pelo óleo em todo o Nordeste. Há registro em todos os nove estados da região. A Bahia foi o último a ser atingido.

O Tamar suspendeu a soltura de filhotes de tartaruga, para preservar os animais que são desovados na Bahia. Segundo o Projeto, os filhotes correm risco de morte se entrarem em contato com a substância.

Na quinta-feira (10), pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA) informaram que o óleo que atinge o litoral do Nordeste foi produzido na Venezuela.

Apesar da afirmação dos pesquisadores, o governo de Nicolás Maduro nega que a Venezuela é responsável pelo petróleo que atinge as praias do litoral nordestino.

Lista de praias afetadas na Bahia

Salvador:
Piatã;
Praia do Flamengo;
Jardim dos Namorados;
Jardim de Alah;
Praia de Placaford;
Rio Vermelho;
Ondina;

Lauro de Freitas (cidade limítrofe – RMS):
Vilas do Atlântico;

Camaçari (47 km – RMS):
Arembepe;
Guarajuba;
Itacimirim;
Jauá;

Mata de São João (61 km – RMS):
Praia do Forte;

Entre Rios (142 km):
Subaúma;
Porto de Sauípe;
Costa do Sauípe;
Massarandupió;

Esplanada (170 km):
Baixio;
Mamucabo;

Conde (186 km):
Barra da Siribinha;
Barra do Itariri;
Sítio do Conde;
Poças;

Jandaíra (205 km):
Coqueiro;
Mangue Seco;