A temperatura mínima na capital paulista, durante a madrugada de hoje (7), chegou oficialmente a 6,5°C, a menor registrada em três anos, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Para um mês de julho, essa também foi a menor temperatura em seis anos.

Em algumas regiões, como na zona sul, na região do Ipiranga, a temperatura foi ainda menor, de 4,8°C. No aeroporto de Congonhas, os termômetros chegaram a 6°C e, no aeroporto de Guarulhos, a temperatura mínima foi de 4°C.

No interior do estado, a forte massa de ar frio e seco de origem polar foi responsável pelo frio intenso. A cidade de Campos do Jordão registrou -1,2°C, Pradópolis marcou 1,1°C e Ituverava registrou 1,2°C. Houve formação de geada na região norte do estado.

A tendência é que as temperaturas continuem baixas na maioria das regiões paulistas. A circulação marítima traz o vento de sudeste, que aumenta a chance de formação de névoa úmida e nevoeiros entre o sul e leste do estado, incluindo a capital paulista. A temperatura mínima deve chegar aos 7°C, em média, no início da próxima semana, na cidade de São Paulo.

Força-tarefa

O governo estadual informou que criou uma força tarefa para a distribuição de cobertores, colchões, roupas e água para pessoas em situação de rua que sofrem com o frio. Serão distribuídos agasalhos e cobertores nas regiões central, Jabaquara, Bresser e na zona norte. No total, serão mais de 5 mil peças oferecidas, arrecadadas na Campanha do Agasalho.

As unidades da Polícia Militar, além disso, foram orientadas a conduzir as pessoas que estiverem em vulnerabilidade, por consequências do frio, aos abrigos públicos. Equipes da Defesa Civil também vão realizar abordagens.