Nesta terça-feira (11), o celular do procurador militar Marcelo Weitzel, um dos integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), foi hackeado. De acordo com o Globo, por volta das 23h o invasor começou a se comunicar e enviar mensagens ao grupo do CNMP.

As supostas mensagens enviadas pelo procurador despertaram a desconfiança dos outros membros do grupo. "Marcelo, essas mensagens são suas? Não está parecendo seu estilo. Checa teu celular aí", escreveu um integrante do grupo.

 Hacker aqui. Adiantando alguns assuntos que vocês terão de lidar na semana, nada contra vocês que estão aqui, mas ninguém melhor que eu para ter acesso a tudo né - respondeu o suposto hacker, autor das mensagens.

Um dos integrantes do conselho ligou para Weitzel para saber o que estava acontecendo. Ele disse que não estava usando o telefone no momento do envio das mensagens.

A procuradora-geral da República Raquel Dodge informou aos conselheiros que pediu para a Polícia Federal investigar um ataque sofrido na noite de ontem pelo grupo do CNMP no Telegram.

Três conselheiros afirmaram à coluna de Bela Megale que os aparelhos de todos os integrantes do grupo serão periciados nos próximos dias.

Nesta manhã, o colunista da Época Guilherme Amado revelou que um hacker também usou o telegram de Weitzel para conversar com o ex-presidente da Associação Nacional dos procuradores da República José Robalinho. Nela, ele também se identificou como autor dos ataques cibernéticos a procuradores.