• Breaking News

    sábado, 13 de abril de 2019

    SOBE PARA 7 NÚMERO DE CORPO ENCONTRADOS NOS PRÉDIOS QUE DASABARAM


    Subiu para 7 o número de mortos no Condomínio Figueira, na comunidade do Muzema, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, segundo o portal G1.

    O número de pessoas resgatadas com vida atualmente é 10–dados dos Bombeiros.

    A última atualização do coronel Geises, subcomandante-geral da Defesa Civil, é de 13 desaparecidos. Segundo os moradores do condomínio, o prédio, construído recentemente, estava com 5 apartamentos ocupados. Um dos imóveis era de 4 andares e o outro de 3. Foram inaugurados há menos de 1 ano.

    O trabalho de resgate continuou praticamente durante toda a noite com a chegada, ontem, de equipamentos de iluminação.

    Pela manhã, o vice-governador Cláudio Castro, e o prefeito do Rio, Marcelo Crivella, estiveram no local do desabamento para acompanhar os trabalhos.

    Os moradores dizem que a área é controlada por milícias, que grilam os terrenos, constroem de maneira irregular e vendem para a população.

    A Prefeitura do Rio postou em sua conta no Twitter que as construções que desabaram eram ilegais.  De acordo com eles, as construções não obedecem aos parâmetros de edificações estabelecidos, como afastamento frontal, gabarito, ocupação, número de unidades e de vagas.

    Parece incompreensível para quem vive fora do Rio de Janeiro como a milícia pode invadir largas extensões de terrenos urbanos, construir dezenas de prédios, comercializar irregularmente os apartamentos ao arrepio da lei e das instituições.

    No Rio de Janeiro, as milícias se sobrepõem ao Executivo, ao Legislativo, ao Ministério Público, à Justiça e às próprias Forças Armadas. A questão a ser analisada é se o modelo vai acabar se reproduzindo em todo o País.