Nove feridos em conflitos na Venezuela foram atendidos em hospitais de Roraima nesta sexta-feira (22), informou a Secretaria de Saúde. Desses, sete estão internados no Hospital Geral de Roraima, em Boa Vista, e outros dois receberam atendimento no Hospital Délio Tupinambá, em Pacaraima, e já foram liberados.

Entre as sete vítimas, há cinco em estado grave e três delas estão em "situação mais crítica". Todos estão com ferimentos provocados por arma de fogo. A informação foi divulgada pela Sesau às 17h45 (18h45 de Brasília).

As vítimas internadas no HGR, que é o maior hospital público do estado, segundo a Sesau, são: Fidel Gabriel Pulido Fernandez, 36 anos; Geber Alfredo Perez Rivero, 21; Kliver Alfredo Perez Rivero, 24; Alfredo Perez, 48; Evencio Sosa, 44; Onesimo Rigoberto Fernandez, 48, e Rolando Garcia Martinez, 52 anos.

Os nomes dos dois pacientes feridos atendidos e liberados no hospital Délio Tupinambá - único em Pacaraima - não foram divulgados.

Rolando Martinez foi o nome citado pelo deputado venezuelano Americo De Grazia, da oposição, como sendo o segundo morto em Pacaraima, no entanto, ele aparece na lista da Sesau como um dos feridos e que segue internado em Boa Vista.

"Ressalta que cinco pacientes foram encaminhados ao Centro Cirúrgico da Unidade. Os outros dois estão em observação no Grande Trauma. Todos foram trazidos para Boa Vista em ambulâncias da própria Venezuela", pontua a nota.

Pela manhã, forças do governo de Nicolás Maduro e indígenas da comunidade San Francisco de Yuruaní entraram em confronto em Kumarakapay, localidade a cerca de 80 km da fronteira com o Brasil. Uma pessoa morreu e várias ficaram feridas, contaram lideranças indígenas à agência de notícias Reuters.

G1